terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Os fatos que não aconteceram...

É básico na escola de jornalismo aprender que o repórter registra os fatos. Mas de vez em quando, o não fato também é notícia. Hoje passei a tarde atarefada em explicar coisas que não aconteceram.

Por exemplo, por que o julgamento de Gastão Arruda, acusado de matar o sindicalista Josilval Albuquerque não aconteceu? O Ministério Público alegou a ausência de uma testemunha importante, o deputado estadual Paulão, do PT, que na época do crime era dirigente do sindicato dos urbanitários.

O assassinato ocorreu em 23 de dezembro de 1993, durante um dissídio coletivo dos urbanitários no Tribunal Regional do Trabalho. Os sindicalistas estavam aguardando o resultado em um bar, em frente ao TRT. Segundo testemunhas, Josival provocou Gastão Arruda, dizendo que assim como morreu o pai dele poderiam morrer outros da familia.

Um ano antes, o pai de Gastão Arruda, diretor da Ceal havia sido assassinado. Não sei detalhes sobre o que Gastão estava fazendo armado no local, no dia do dissídio, mas pelo que ouvi, revoltado com a morte do pai, ele acabou perdendo a cabeça ao ver seu tio, que ocupou o posto de diretor da Ceal, ser ofendido pelos urbanitários.

O promotor de Justiça, Flávio Costa, alega homicídio qualificado. O advogado de defesa, Welton Roberto (foto), diz que Gastão se sentiu ameaçado e sacou o revolver tentando se defender, sem intenção de matar. Segundo amigos de Gastão Arruda ele mudou bastante com tudo que aconteceu. Arrependeu-se da atitude intempestiva que custou a vida de uma pessoa e busca uma vida mais equilibrada. Por outro lado, resta a dor da familia da vítima, que cobra punição para o assassino.

O destino de Gastão Arruda será decidido no próximo dia 9 de março.

A outra notícia que não aconteceu é uma novela mais conhecida dos alagoanos. O orçamento do Estado de Alagoas para o ano de 2010 não foi votado. A pressão por aumento do duodécimo da assembléia continua e sacode os bastidores políticos. Os servidores também querem reajuste salarial e a mesa diretora utiliza esse argumento para cobrar mais dinheiro.

Pelo jeito, as coisas vão continuar não acontecendo por mais algum tempo...

fotos 1) alagoas24horas 2) tudonahora

Nenhum comentário:

Postar um comentário