quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Sobre a passagem das horas...

Faltando três horas para a virada do ano, estou eu na redação da TV, para retornar ao trabalho depois de um mês de férias... ninguém por aqui por enquanto... um silêncio ensurdecedor... não é comum, nesse ambiente, tanta tranquilidade. Também não parece uma cena normal de fim de ano ficar em frente ao computador quando todos estão indo para as festas de reveillon...

Mas estou tranquila e feliz... Tranquila, porque depois de um ano turbulento, tudo está entrando nos eixos e 2010 promete. Aliás, algumas promessas que fiz para antes de terminar 2009, eu cumpri.
Feliz, porque é bom ter um trabalho que voce gosta tanto de fazer, que não chega a considerar uma maldição um plantão de reveillon, principalmente depois de um mês de descando bastante produtivo...

Além disso, nessas férias, iniciei esse blog, para exercitar a escrita mais livre, seja reflexão cotidiana ou ficção inspirada nas artimanhas da vida... e os amigos estão me estimulando a continuar escrevendo, até porque, quem me conhece sabe que sou uma incansável contadora de histórias, reais e inventadas... só é passar da contação oral, para a escrita...

Nesse tempinho que estou esperando a hora de passar o cartão do ponto e começar o trabalho para valer, aproveitei para escrever na agenda nova de 2010 as metas para o próximo período. Pretendo cumprí-los escrupulosamente. Vou revelar dois: escrever mais, inclusive à mão (descobri hoje, escrevendo na agenda, que de tanto digitar, minha caligrafia, que era de colegial, está virando um garrancho) e estar aberta ao amor, na forma que ele se apresente... porque, como dizia Cazuza "a vida não para".

E depois de terminar hoje a leitura de "Memória de minhas putas tristes", de Gabriel Gárcia Márquez, reafirmei a certeza de que os sentimentos não são limitados pela idade.
Eu sei que não se deve antecipar o final das estórias, mas eu vou me atrever a escrever aqui as últimas frases do livro, e não se preocupem que não tira de nenhuma forma a graça da leitura. "Era enfim a vida real, com meu coração a salvo, e condenado a morrer de bom amor na agonia feliz de qualquer dia depois dos meus cem anos".





Feliz 2010 para todos!

3 comentários:

  1. Lenilda, os amigos têm razão em desejar e pedir que você continue escrevendo. Sua escrita é sensível. Ou seja: uma ótima alternativa para a dureza do mundo e da nossa profissão. Quando escrevo em blog penso coisas assim. É como se fosse um respiradouro, digo.

    Desejo que seu 2010 seja dos melhores anos. Vai ver que aquela abonança depois da tempestade está guardada para você também. Por que não?! Boa vivência, boas escrita e leitura e um bom amor para lhe inspirar ainda mais o bem.

    Abraço.
    Isolda.

    ResponderExcluir
  2. "A cada linha uma nova e interessante história pra contar"

    ResponderExcluir
  3. Com certeza vc deve continuar escrevendo... Feliz ano novo!! Que 2010 seja de mtas letras!!

    P.S.: Eu tb adorei esse livro... =)

    ResponderExcluir