sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Amai os vossos inimigos...

"Amai os vossos inimigos. Fazei o bem aos que vos odeiam". Não, nunca alcancei a profundidade desses versículos. Nunca me senti capaz de transformar ódio em amor e muito menos oferecer a outra face... que nada! O melhor que pude fazer foi me manter em silêncio... mas o meu silêncio é profundo... pode durar décadas, séculos... é na verdade muito cruel...

Mas nessa noite, depois de duas taças de vinho, comecei a pensar nas mágoas e ódios da vida e me senti vazia deles. Quem precisa carregar essa raiva?! São tão mais fragéis as pessoas que magoam. Como são solitárias as pessoas que não confiam, não abrem a guarda... Como é falsa a invencibilidade dos fortes!

Nesta escuridão, quem está mais segura sou eu, que começo a compreender Walt Whitman: "forte e contente vou eu pela estrada aberta”

Um comentário:

  1. Sou obrigada a dizer que, quando você chegou a sua conclusão no comentário acima, acabou concordando com os versículos. O silêncio é uma boa forma, também, de fazer o bem...

    ResponderExcluir