quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Bastidores da Assembléia...


Cobrir área política não é fácil. É preciso saber traduzir as entrelinhas. Os discursos são fartos, mas dizem pouco. Os detalhes são mais esclarecedores. Por isso é preciso estar atento. Mas tentar "pegar" as coisas não ditas no ar, também não significa sisudez ou tensão, pelo contrário.

Quem entrar desavisadamente na pequena sala da imprensa, que nós batizamos de aquário, porque é naquela caixa de vidro que acompanhamos as ações dos parlamentares, vai achar que ninguém ali está prestando atenção no que acontece na Casa de Tavares Bastos.

Cafezinho, conversas, laptops, celulares, risos e brincadeiras tudo ao mesmo tempo. Mas no meio do barulho, nenhum detalhe se perde... a movimentação, as negociações, a expressão facial e corporal dos parlamentares, tudo é devidamente registrado.

Numa casa legislativa como a de Alagoas, então, não falta o que "pesquisar". Depois da operação taturana, o parlamento foi desnudado, tudo o que se sabia por ouvir dizer, foi minunciosamente comprovado e escancarado para a sociedade.

De lá para cá, o parlamento alagoano tenta recuperar a moral e continuar funcionando como legítimo representante do povo. Mas, parece que nada ali caminha de forma transparente e compreensível à todos os mortais, e é por isso que já passou o reveillon e o carnaval, mas ainda não foi aprovado o orçamento para 2010.

Sabe-se lá a que preço, essa polêmica será superada até a próxima terça-feira...

Foto da Olívia de Cássia, que registra tudo nos bastidores da Assembléia

2 comentários:

  1. E você acredita que o custo será alto ou baixo. Eu como sou pessimista, vou à estratosfera.

    ResponderExcluir
  2. Eu sou otimista por natureza, mas quando o assunto é a Assembléia, não tem como acreditar em outra coisa... o contribuinte vai pagar caro um acordão

    ResponderExcluir