quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Caso Leal: Governo da Bahia vai indenizar a familia do jornalista assassinado

Conversei hoje, via internet, com meu amigo, Daniel Thame. Ele conheceu pessoalmente Manoel Leal, trabalharam juntos no jornal A Região e também tomaram muitas cervejas batendo papo sobre a vida.

Daniel falou que viveu sob pressão por mais de um ano, no mesmo período em que Leal foi morto, recebendo ameaças diárias. Estratégia dos poderosos locais para amedrontar a imprensa. O jeito foi transformar o medo em raiva, para continuar trabalhando...

Morei e atuei como assessora sindical naquela região por seis anos. Conheço um pouco desse coronelismo, que também nos é familiar em Alagoas. A decisão de indenizar a família de Leal é considerada importante pelo reconhecimento do papel social exercido pelo jornalista, que deve ter garantido o exercício da função de informar e denunciar quando for o caso.

Veja mais informações sobre o caso:

O governador da Bahia, Jaques Wagner, assinou uma lei que prevê indenização para a família de Manoel Leal de Oliveira, fundador e editor do jornal A Região, em Itabuna, assassinado em 1998.

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP, por sua sigla em espanhol), que estava envolvida no acordo que resultou a lei, emitiu um comunicado no qual saudou e qualificou a medida como um passo a mais para assegurar que a morte e outros nove jornalistas na Bahia não fiquem impunes. Mais informações em Jornalismo nas Américas

Manoel Leal de Oliveira foi assassinado no dia 14 de janeiro de 1998, por volta das 19h, quando tentava abrir o portão de sua casa, na rua principal do bairro Jardim Primavera. Testemunhas já ouvidas pela Justiça disseram que viram – e apontaram com segurança - Marcone e Monzar Castro Brasil numa Silverado branca, na véspera e no dia do crime.

Pela ligação com os executores e os fatos que antecederam o crime, os principais suspeitos de mandantes do assassinato são o prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, e a ex-secretária municipal Maria Alice Araújo, com possível participação do delegado Gilson Prata.  Texto completo em Observatório da Imprensa

Uma homenagem de Daniel Thame ao amigo assassinado, quando completaram-se cinco anos do crime

foto: Manoel Leal trabalhando - arquivo de A Região

Nenhum comentário:

Postar um comentário