sábado, 23 de janeiro de 2010

Ô vida difícil hoje, viu?!


Desculpem, estou ironizando... é que tem dia de trabalho difícil mesmo: cobrir tragédias, operações policiais, homicídios... em compensação, tem dias em que la vita è bella. Hoje foi assim. Comecei no Munguzá do Pinto, encontrando amigos e dançando frevo...

Depois, a segunda pauta: falar do roteiro de charme em Alagoas. Ô dureza! Se o tempo permitisse, eu até gostaria de percorrer o litoral de norte a sul (lembrando o "Alagoas de norte a sul", nome do programa que o Marcus Toledo tinha na TV Pajuçara), mas só deu mesmo para conhecer o resort Kenoa, na Barra de São Miguel.

Já valeu a pena. Um lugar charmoso, com um gerente simpático, o americano James Peebles, que falou da preocupação em oferecer um ambiente requintado, mas sintonizado com a natureza exuberante. A decoração utiliza elementos do nosso litoral, mas na piscina com borda infinita, aquela em que a pérgula parece terminar no horizonte, as pedras foram trazidas da ilha de Bali, para combinar com a cor do mar.


Um resort para hóspedes que procuram privacidade e tranquilidade... uma música suave, que não abafe o barulho das ondas, e o melhor proveito da brisa maritma, além é claro, de conforto e boa comida... ô vidinha mais ou menos...

A minha matéria vai ao ar hoje, no Jornal da Pajuçara Noite, depois do programa Melhor do Brasil e do "Com Estilo". Mas também seremos tema do programa 50 por 1, do Álvaro Garnero, da rede Record, também neste sábado, 23h15, horário local.

Assista à matéria sobre o roteiro do charme em Alagoas

fotos: a primeira, foi Chié que tirou. A outra eu registrei da piscina com borda infinita: onde termina a piscina e começa o mar?

Um comentário:

  1. Para os poetas de nascença, escrever é uma arte! Ler essas postagens da Lua me fazem perceber o quanto é rico para nossa alma externar com palavras nossas experiências do dia-a-dia. Talvez porque eu também seja uma poetisa, e a Lua sabe bem disso, rs! Mas esse trabalho é admirável, deveria ser mais valorizado em nosso país. Escrever e escrever bem é um dom para poucos, e mais poucos ainda aqueles que nos conseguem compreender; não falo exatamente em questões de inteligência, porque todos nós somos inteligentes, mas falo em questões de sensibilidade ao compreender; esse dom, infelizmente, não é para todos. **Parabéns pelo trabalho, Lua! Sabe que tem uma fã crítica (rs) de carteirinha. Beijos!!!

    ResponderExcluir