sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Ufal 49 anos: mais que números, somam-se histórias...


A Universidade Federal de Alagoas completa 49 anos de fundação no dia 25 de janeiro de 2010. A instituição quase cinquentenária tem muito o que comemorar. O crescimento da universidade não se traduz apenas em números, apesar do aumento considerável de vagas para estudantes e funcionários, da expansão para o interior com dois novos campi e dos investimentos em laboratórios e prédios que ampliaram as atividades acadêmicas.

Mais do que todos os indicadores quantitativos, a Ufal celebra o avanço qualitativo da instituição, com a participação destacada em pesquisas de repercussão nacional e internacional, a aprovação de graduados em mestrados de universidades renomados no país e no exterior, a qualificação dos profissionais contratados em concurso, a maioria com doutorado e a ampliação de bolsas de pesquisa para os graduandos.

Em todas as unidades, recentemente, foram registradas notícias de alunos que ganharam prêmios em congressos nacionais e internacionais com apresentação de trabalhos e de projetos dos pesquisadores da Ufal aprovados por instituições de financiamento de pesquisa. O mais recente, no Instituto de Física, garantiu três milhões de reais em recursos e vai implantar no campus um equipamento inédito no Brasil.

Mas a Ufal, que cresce para fora dos limites do Estado e das fronteiras do país, também se abre para os alagoanos que, antes, nem ousariam sonhar em frequentar um campus universitário. Esse é um dos aspectos mais importantes da interiorização: aproximar a universidade das comunidades mais carentes de conhecimento e profissionalização.


Essa dimensão social dos campi no interior foi explicitada com muita alegria durante a calourada para os feras do primeiro vestibular realizado no campus Sertão, em Delmiro Gouveia.

A festa, realizada na praça central da cidade sertaneja, foi acompanhada por candidatos como Daniel Oliveira, comerciário, que estava na porta da loja em que trabalha, no horário de serviço, ao lado dos colegas, ansioso pelo resultado. Quando ouviu o nome dele, Daniel explodiu de alegria e subiu no palanque para comemorar, ainda com a farda do trabalho.

Gente também como Laércio Vilar, aposentado de 65 anos, que foi prestou o primeiro vestibular da vida dele e foi aprovado em Geografia. No discurso de agradecimento ele ressaltou "nunca se julgue velho demais para estudar e aprender”.

O campus Arapiraca


Histórias como essas já tinham emocionado a comunidade universitária, há três anos, quando foi implantado o campus da Ufal no agreste, com sede na cidade de Arapiraca, inaugurado em setembro de 2006. Logo depois do primeiro vestibular para os cursos oferecidos no agreste, a reitora Ana Dayse Dorea, em uma das visitas ao campus, parou o veículo para abastecer num posto de gasolina e ouviu do frentista um agradecimento especial. “Fui aprovado no vestibular. Sem a Ufal aqui em Arapiraca eu nem teria chance de concorrer”, disse o rapaz.

Esses relatos começam a responder uma reflexão que a reitora propôs para a equipe da gestão Ufal mais Viva durante reunião de planejamento: “qual a importância da Ufal para a sociedade alagoana?”

Em Arapiraca, além da extensão, pesquisa e ensino estendidos aos jovens do interior do Estado que não teriam condições de se instalar na capital para estudar, o campus da Ufal alterou também a dinâmica da economia local, provocando uma expansão imobiliária e o aquecimento do comércio. Reflexos secundários, mas também importantes para os municípios do interior de Alagoas, e que também devem acontecer no sertão.
 
A celebração dos 49 anos da Ufal será registrada em números, como a contratação de servidores, entre técnicos e docentes, nos últimos anos, e o crescimento de cursos de pós-graduação, com 21 mestrados e seis doutorados, com 900 alunos em mestrados e doutorados e mais 490 em especializações, além de 700 graduandos com programas de bolsas, o que vem referendando a Ufal como instituição que produz pesquisa de ponta, com relevância científica e social.
 
Mas a festa é principalmente da sociedade, e se traduz muito mais em um mosaico de histórias, com vários rostos de jovens e profissionais que agarraram a oportunidade de fazer parte desta universidade.



O aniversário da Ufal é comemorado com a mesma emoção de ser aprovado no vestibular ou ser ou num concurso público. Mas também é celebrado na rotina silenciosa das novas descobertas científicas e nos projetos que ajudam a melhorar a condição de vida do povo alagoano.


fotos: Ascom

Nenhum comentário:

Postar um comentário