terça-feira, 12 de janeiro de 2010

"O sertão vai virar mar". Um mar de conhecimento...


Estava lendo a matéria dos meus colegas Jonathan e Avanny sobre o resultado do primeiro vestibular da Universidade Federal de Alagoas no sertão do Estado. Comecei a pensar sobre o quanto a presença da Ufal vai significar de mudança nessa região.

Já passei pela emoção de ser  mestre de cerimônia na inauguração do campus Arapiraca, em setembro de 2006. Quando olhei aquela terra vermelha, onde se plantava fumo, virando universidade, lembrei de vinte anos antes, quando eu, Evaldo, Florisval e outros companheiros percorríamos quilometros a pé por ali, organizando trabalhadores rurais de Craíbas e Arapiraca, para consolidar a CUT e o Partido dos Trabalhadores no interior de Alagoas.

Passamos muitas adversidades naquele período. No dia da inauguração, fiquei com os olhos marejados, pensando principalmente em Evaldo, que já partiu para outra dimensão. Quando é que a gente podia imaginar isso?! Uma instituição de produção de conhecimento, nessa região onde já fomos perseguidos só por falar em direitos trabalhistas e reforma agrária...


No sertão, nós também passamos muitos dias, reunindo e também ajudando no campo. Não íamos ficar lá só de teoria, também precisávamos ajudar a carregar água, colher o milho e bater o feijão. Mas em nunhuma das nossas projeções de avanço político, chegamos a sonhar com um campus universitário, público e de qualidade, em pleno sertão, recebendo gente como o Laércio Vilar, de 65 anos, que foi aprovado em Geografia e discursou "nunca se julgue velho demais para estudar e aprender”.

Também me chamaram a atenção os comerciários de Delmiro Gouveia que estavam trabalhando quando ouviram o nome anunciado na listagem dos feras. Um deles subiu ao palco com a camisa do trabalho, nas lojas Maia. Certamente, se não houvesse a opção de prestar vestibular e cursar a faculdade na sua própria cidade, Daniel não teria condições de sonhar com um curso superior.

Eu fico sinceramente emocionada com o que isso representa de mudança na mentalidade e na perspectiva de vida dos habitantes do interior de Alagoas. E tenho uma firme esperança que, com conhecimento e conscientização, possamos romper com a estrutura arcaíca e violenta que ainda persiste na forma de fazer política nessas regiões.

É uma mudança mais lenta e silenciosa do que a revolução bradada por nós há vinte anos... mas é consistente e isso importa. Como disse Albert Einstein,  "a mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original."


Foto 1: Ascom/Ufal - Laércio Vilar, com 65 anos, "sofrendo" a primeira calourada
Foto 2: Ascom/ Ufal - Daniel saiu direto da loja em que trabalha para comemorar a aprovação

Um comentário:

  1. eu sou uma das mais emocionadas... simplesmente inesquecível este momento....

    ResponderExcluir